• A Bailoca!

Foi tarde...

Atualizado: Abr 8

Eu tardei em alguns aspectos da minha vida. Fosse num aprendizado, numa atitude, numa escolha, numa percepção... Eu tardei! E sempre soube disso, não é algo que me ocorreu ontem... Eu sei, sempre soube, aceitei e lidei. Alguns chamariam de conformismo mas não, não sou conformada, sou adaptável! Em todas as vezes que eu tardei, eu não simplesmente me conformei e segui vivendo, empurrando aquele tardio fardo, não! Eu tinha consciência daquele atraso mas eu sempre buscava uma nova perspectiva nas coisas e quando elas não existiam, daí sim, eu tinha que encarar a situação e "tirar o atraso!". Tardei em decidir o que eu ia ser quando crescer, em aceitar que a infância já tinha passado, em terminar meu noivado com meu ex-marido antes do casamento acontecer (tive duas excelentes oportunidades mas preferi adaptar! Funcionou! Não o casamento, óbvio, mas aprendi rios por ter seguido em frente e quando não deu mais, tirei o atraso).

Eu era a única na primeira aula da 1a série que não sabia escrever a palavra MUITO. Pelo menos assim creio porque quando a professora, na metade do ditado, disse: "muito mais", eu - e somente eu - levantei a cabeça, minha pequena cabeça de 6 anos de idade, com o cabelo num volume que duplicava a minha ocupação de espaço e dois dentes da frente relativamente grandes. Para minha sorte, a professora Cássia me olhou com carinho e sussurrou: mu-i-to. Eu tirei 10 naquele ditado. Tardei em aprender a fazer café e feijão. Eu dizia com muita naturalidade e até uma pitada de graça: "Não sei passar café nem cozinhar feijão!". Havia um fio de juventude neste não saber fazer que me envolvia e me agradava profundamente e quando achei que finalmente deveria aprender, fui lá e aprendi. Meu café é muito bom e meu feijão também mas sempre pode ficar melhor! Prática meus caros, prática! Tardei em pagar boletos, mas paguei. Todas esses atrasos tinham uma boa razão ou uma boa intenção por assim serem! Exceto os boletos, esses foram desorganização e esquecimento mesmo. Mas existem dois atrasos que me pesam: - Tardei em definir uma meta de vida, o que afetou enormemente a maneira como eu vivi e as atitudes que eu tive entre 2003 e 2014 - período esse que me moldou MUITO enquanto pessoa e bailarina. Esses anos teriam sido completamente diferentes se eu soubesse o que eu REALMENTE faria com tudo aquilo que a vida me apresentava, mas eu não sabia porque estava perdida! - Tardei em descascar a mim mesma e me questionar "cadê aquela menina que estava aqui, 17 anos atrás?". Se vocês conhecessem aquela menina... Ela era o que, alguns anos atrás eu chamaria de insuportável; hoje eu chamo de desabrochada. Mas aquela menina foi ficando coberta de medos, de mágoas, de obstáculos, de incertezas, de carência, de pudor, de resistência, de blues, de achismos e aquilo foi endurecendo... porque eu estava perdida! Me larguei no mundo e me perdi, criando estes dois atrasos. Eles estão sendo resolvidos mas não deixam de martelar na minha cabeça diariamente, principalmente nos últimos meses... O bom é que conviver lembrando deles e me adaptando para resolvê-los, me ajuda a detectar novos pontos onde eu possa tardar; o ruim, ainda não achei! Mas eu sou uma pessoa que tende a tardar... eu tardo, mas eu não falho!




187 visualizações

CNPJ: 32.914.072/0001-30 - São Paulo/SP, Brasil   / © 2020 DANCESMERALDA. All rights reserved.  
FALE CONOSCO: (11)9.8171-1174   /   dancesmeralda@gmail.com